segunda-feira, 26 de junho de 2017

Rumo aos 18 MILHÕES de leitores! Ontem, domingo: 15.572!



Visualizações de páginas de hoje
29
Visualizações de página de ontem
15 572
Visualizações de páginas no último mês
283 155
Histórico total de visualizações de páginas
17 465 576

6ª feira, dia 30: Pablo Hermoso em Évora!


Foto Emílio de Jesus

Leonardo Hernández magistral em Algeciras


Leonardo Hernández magistral ontem em Algeciras, onde cortou uma orelha no primeiro toiro e duas no segundo, saindo em ombros com Andrés Romero, que obteve duas orelhas no seu segundo, depois de ter sido ovacionado no primeiro. Sérgio Galán foi ovacionado no primeiro toiro e cortou uma orelha ao segundo.
Lidaram toiros da ganadarias Benítez Cubero e Pallarés.

Foto Arjona/aplausos.es


domingo, 25 de junho de 2017

Arronches: a surpresa veio de São Prates!

António Prates marcou a diferença em Arronches: o toureio a cavalo tem uma
nova estrela. Atenção, senhores empresários!
Luis Rouxinol com o toirão de David Ribeiro Telles
João Maria Branco num momento da sua actuação ontem em Arronches
O toiro de Romão Tenório (prémio bravura) investindo no burladero com emoção.
Em baixo, o empresário António Manuel Cardoso "Nené" com a presidente da
Câmara de Arronches, os reprsentantes das ganadarias vencedoras (Monte
Cadema e Francisco Romão Tenório) e os artistas triunfadores: Luis Aranha, do
Grupo de Monforte (melhor pega) e António Prates (melhor lide)


Hugo Teixeira - O jovem cavaleiro praticante António Prates sagrou-se, no sábado, o grande triunfador da corrida de São João, em Arronches (Portalegre), com duas actuações de alto nível, principalmente a segunda, frente a um voluntarioso toiro de Romão Tenório.
Essa actuação valeu-lhe a conquista do troféu para a melhor lide, sendo a decisão do jurado bastante aplaudida pelo público, que preencheu as bancadas daquela praça de toiros.
Mas vamos por partes.
O cartel era composto por Luís Rouxinol, João Maria Branco e o jovem praticante António Prates, cabendo as pegas aos Amadores de Arronches e Monforte.
Este festejo foi anunciado como sendo um concurso de ganadarias, estando em praça as divisas (por ordem de saída) de David Ribeiro Telles, Monte Cadema, Vale Sorraia, Luís Rocha, Nuno Casquinha e Francisco Romão Tenório.
Um concurso de ganadarias na generalidade bem apresentado, a dar luta aos artistas, tendo apenas como nota negativa o exemplar enviado por Luís Rocha, de escassíssima apresentação para um festejo deste tipo.
Luís Rouxinol abriu praça e toureou o “comboio de carne” da divisa de David Ribeiro Telles e que deu “'água pela barba”. O astado, imponente e com bastante sentido, atravessava-se no momento do ferro, tentava agarrar bem lá no alto o cavaleiro e a lide de Rouxinol foi empolgante. Uma verdadeira guerra “à intiga”!
No seu segundo, perante o toiro de escassa apresentação de Luís Rocha, o cavaleiro de Pegões mostrou toda a sua essência, rubricando grandes ferros que culminaram com o tradicional e bem executado par de bandarilhas.
João Maria Branco rubricou uma lide intermitente no seu primeiro, deixou apontamentos de boa nota frente ao toiro de Monte Cadema, tentou também bregar com qualidade, mas nem sempre foi possível levar até ao fim a sua missão, sem pisar terrenos de maior compromisso.
No seu segundo (toiro Casquinha), o cavaleiro de Estremoz andou mais solto, mais toureiro e deixou dois curtos de qualidade e também uma vistosa brega. Passagem positiva perante um oponente que veio ao longo da lide a menos.
Mas a surpresa estava do lado de António Prates. No seu primeiro (Vale Sorraia, voluntarioso) esteve em bom plano, deixando ferros com cites de largo e a rematar bem as sortes. No seu segundo, que brindou ao Maestro João Moura, a fasquia subiu, com ferros de verdade, a atacar o oponente, com batidas ao píton contrário e a entrar pelo toiro, alegrando com ousadas “piruetas”.
Uma agradável surpresa, que foi premiada com a entrega do troféu para a melhor lide.
Numa altura em que a discussão passa em redor do futuro da Festa, e se temos ou não figuras para o futuro, António Prates foi a Arronches afirmar que está na luta e que quer ser figura do toureio. Vamos acreditar! Os senhores empresários têm agora a palavra… andamos fartos de ver “mais do mesmo”. Prates é agora uma mais valia bem sólida para reforçar qualquer cartel em qualquer praça.
No capítulo das pegas a noite foi mais tranquila para os Amadores de Monforte. Por Arronches pegaram (o toirão de Ribeiro Telles) com valentia e à terceira tentativa, de cernelha, Fábio Mileu e Pedro Nunes, após duas tentativas do cabo Manuel Cardoso que recolheu à enfermaria e, posteriormente, ao Hospital de Portalegre, onde efectuou vários exames. Felizmente está tudo bem com o valente cabo dos Amadores de Arronches.
Pegaram ainda Tiago Policarpo e João Rosa, ambos à primeira tentativa.
Por Monforte foram solistas os forcados Henrique Teixeira à segunda, João Diogo Pereira à primeira e Luís Aranha, na grande pega da noite, também ao primeiro intento.
No capítulo dos homens de prata, uma palavra também para todos eles, principalmente para o grande Pedro Paulino “China” que no primeiro toiro de João Maria Branco apanhou um valente susto. O toureiro foi agarrado com violência, mas felizmente nada de grave se passou. Uma colhida com aparato, apenas e só.
Além de António Prates ter conquistado o troféu para a melhor lide, o júri (que não foi anunciado) decidiu atribuir o troféu apresentação ao exemplar de Monte Cadema e o troféu bravura ao astado de Romão Tenório, ao passo que o forcado Luís Aranha, dos Amadores de Monforte, conquistou o troféu para a melhor pega.
Dirigiu com acerto e competência este festejo promovido pela empresa Toiros & Tauromaquia de António Manuel Cardoso, o delegado técnico tauromáquico Marco Gomes, assessorado pelo médico veterinário José Guerra.
Ao início da corrida foi guardado um minuto de silêncio em memória do toureiro Iván Fandiño e do repórter fotográfico Pedro Cardoso.

Fotos Maria Mil-Homens

As fotos do mano-a-mano Adame/Garrido ontem em Badajoz

José Garrido e Joselito Adame em ombros ontem no final da corrida em Badajoz
Foto cortesia Hugo Calado/toureio.pt
Mano-a-mano de Garrido e Adame arrastou ontem pouco público à Monumental
de Badajoz
... Um quarto de casa (nem isso...) naquela que costumava ser a data
forte da Feira, o dia de San Juan...
Primeira figura do México, Joselito Adame foi ontem o triunfador do mano-a-mano
em Badajoz, em que se lidaram toiros de El Torreón de muito maior qualidade do
que os que sairam à arena de Badajoz nas duas corridas anteriores. O toureiro
azteca foi ovacionado no seu primeiro toiro, cortou uma orelha ao segundo e as
duas ao terceiro
José Garrido esteve aguerrido, sofreu aparatosa colhida no primeiro toiro (ver
sequência na publicação anterior), mas andou ontem uns pontos abaixo do
mexicano Joselito Adame... Cortou uma orelha ao primeiro toiro do seu lote, foi
ovacionado no segundo e voltou a obter uma orelha no terceiro. Um dos seus
picadores por pouco não foi derrubado (fotos em cima)

Fotos Maria Mil-Homens

Sequência da impressionante colhida de José Garrido ontem em Badajoz



Impressionante sequência de Maria João Mil-Homens da aparatosa colhida sofrida ontem em Badajoz pelo matador espanhol José Garrido na tarde em que actuava mano-a-mano com o mexicano Joselito Adame, que esteve superior.
O acidente ocorreu logo no primeiro toiro do lote de José Garrido, segundo toiro da corrida, quando o matador toureava por "manoletinas" e felizmente tudo não passou de um grande susto. Garrido prosseguiu a sua actuação e cortou uma orelha a este toiro, sendo depois ovacionado no seu segundo e cortado novamente uma orelha ao terceiro, o que lhe permitiu sair em ombros com o mexicano Joselito Adame, que foi o maior triunfador da corrida, sendo ovacionado no primeiro do seu lote, cortado uma orelha ao segundo e as duas ao terceiro.
Os toiros de El Torreón foram os melhores que sairam na Feira de Badajoz, a praça é que registou a mais fraca entrada de público, apenas um quarto de casa.
Mais logo, não perca todas as fotos de Maria João Mil-Homens.

Fotos Maria Mil-Homens

Amanhã não perca: grande entrevista de Pablo Hermoso nas vésperas da sua actuação em Évora



Amanhã, não perca, aqui no "Farpas", a grande entrevista de Miguel Alvarenga a Pablo Hermoso de Mendoza, a escassos dias da sua primeira apresentação nesta temporada em Portugal, já na próxima sexta-feira, dia 30, em Évora (cartaz ao lado), depois do triunfo apoteótico desta manhã em Istres (França), onde cortou cinco orelhas e um rabo e saíu triunfalmente em ombros com Lea Vicens, com quem actuava mano-a-mano.
O respeito pela entendida e exigente aficion eborense; o peso de actuar ao lado do seu mestre, João Moura; o entusiasmo da competição com um jovem que está a consagrar-se como figura, João Telles; a admiração pelo arrojo e a valentia dos Forcados de Évora e dos forcados em geral; o prestígio da ganadaria Passanha - temas a abordar por Pablo Hermoso de Mendoza na entrevista que amanhã ninguém vai poder perder aqui no "Farpas"!

Foto Emílio de Jesus

Próximo sábado, 1 de Julho: todos os caminhos vão dar a Monforte!



Próximo domingo, 2 de Julho, Padilla em V. Franca! Veja-o ao menos uma vez na vida!