quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Livro "Campo Pequeno - 125 Anos no Coração de Lisboa" oficialmente lançado neste momento na Monumental de Lisboa


Eis a capa do livro "Campo Pequeno - 125 Anos no Coração de Lisboa", luxuosa obra com 252 páginas com artigos de várias personalidades e que neste momento é oficialmente apresentado em cerimónia que decorre na arena da praça de toiros.
O livro (50€) pode ser adquirido a partir de hoje no Museu do Campo Pequeno ou no El Corte Inglés de Lisboa ou de Gaia.
Uma obra imperdível na biblioteca de qualquer aficionado.


Feira de Outubro em Vila Franca: reserve já os seus bilhetes



Grande corrida e novilhada na Feira de Zafra: 30 de Setembro e 1 de Outubro



Sábado: todos os caminhos vão dar a Elvas!



12 de Outubro: Noite de Gala encerra temporada dos 125 anos do Campo Pequeno


Foto Emílio de Jesus

Dia 25 nas bancas: edição comemorativa do 40º aniversário da revista "Aplausos"



Jornal "Olé!" já nas bancas



Grupo que gere Monumental de Madrid quer comprar concessão do Campo Pequeno



O grupo suíço Springwater, dono das agências de viagens TopAtlântico e Geostar e que gere a Monumental de Madrid através da marca Nautalia (associado ao empresário francês Simón Casas) já "registou oficialmente o seu interesse" na compra da concessão do Campo Pequeno, anuncia hoje Martin Gruschka, CEO do grupo, em entrevista ao "Jornal de Negócios" (ao lado).
O concurso para compra da concessão do Campo Pequeno deverá ser lançada até ao final deste ano e a Springwater anuncia que vai concorrer. O empresário não revela o valor que o grupo está disposto a pagar, mas adianta que gostaria de ter o Campo Pequeno já no portefólio em 2018.
"Acho que temos um bom porto de partida, porque temos experiência a gerir uma praça de toiros, a maior da Europa. É um ponto de experiência incomum", afirma Martin Gruschka, referindo-se à Monumental de las Ventas, que está adjudicada à Springwater e é gerida através da Nautalia em sociedade com Simón Casas.
À semelhança do que sucede em Madrid, adianta o "Jornal de Negócios", a estratégia do grupo suíço para o Campo Pequeno passa pela organização de eventos, tornando-o num atractivo para os turistas, nunca deixando de realizar corridas de toiros, obviamente. Na operação estão incluídos a arena, a zona comercial e o parque de estacionamento.
A Sociedade de Renovação Urbana do Campo Pequeno, anteriormente detidas pelas famílias Borges e Goes Ferreira, que em 2000 iniciaram todo o projecto de reabilitação da praça de toiros, reinaugurada em 2006, entrou em insolvência em 2014. Em Junho de 2016, recorda o jornal, a Drª Paula Resende, que dois anos antes assumiu a função de administradora judicial da empresa, contava ao "Jornal de Negócios" ter recebido diferentes manifestações de interesse estrangeiro para a aquisição da concessão do Campo Pequeno (propriedade da Casa Pia), vindos sobretudo de França e de Espanha.
Paula Resende passou de uma administradora judicial a uma empreendedora e entusiasta defensora da arte tauromáquica e da cultura portuguesa e em apenas três anos, em parceria com Rui Bento, director de Tauromaquia da empresa, recolocou a praça do Campo Pequeno na rota das grandes figuras mundiais do toureio, devolvendo-lhe o carisma internacional de outros tempos.
O grupo Springwater entrou em Portugal em 2014 depois do colapso do Grupo Espírito Santo, ganhando a compra da Espírito Santo Viagens, detentora da TopAtlântico e em Outubro de 2015 comprou a Geostar à Sonae.

Foto D.R.


Missas de 7º dia por Fernando Quintella em Alcochete e Lisboa


Sexta-feira em Alcochete e sábado em Lisboa serão celebradas missas de 7º dia por alma de Fernando Quintella.
Amanhã, sexta-feira, é celebrada uma missa às 18h30 na Igreja Matriz de Alcochete, enquanto que em Lisboa será no sábado, às 19 horas, na Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, no Largo do Chiado.

Foto D.R.


Ontem, 4ª feira: 12.486 leram o "Farpas"!


Visualizações de páginas de hoje
3 675
Visualizações de página de ontem
12 486
Visualizações de páginas no último mês
566 332
Histórico total de visualizações de páginas
18 715 424

Repórter britânico Andrew Moore expões fotos na Monumental de Madrid durante a Feira de Outono


O repórter fotográfico britânico Andrew Moore vai expor uma selecção de fotografias na Monumental de las Ventas, em Madrid, durante a próxima Feira de Outono. E exposição é inaugurada no próximo sábado, 23 e estará aberta ao público até 1 de Outubro, com o seguinte horário: em todas as manhãs de corrida, entre as 10h00 e as 13h00 e pela tarde, uma hora antes do começo das corridas, entre as 17h00 e as 18h00.
Intitulada "A Beleza Instantânea", esta exposição é organizada em colaboração com o Centro de Assuntos Taurinos da Comunidad de Madrid e estará patente na Sala "Antoñete" da Monumental de Madrid, junto à entrada do Tendido 4.
As fotos, de que publicamos esta, dizem respeito principalmente a momentos ocorridos nos festejos celebrados em Las Ventas na primeira parte da temporada de 2017.

Foto Andrew Moore


Miura/Grave: histórico confronto de ganadarias no dia 30 em Alcácer



Dia 29: ninguém pode perder o Trio da Apoteose em Évora



quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Sucesso no festival em Stevinson a favor do hospital de crianças com cancro



Realizou-se no último sábado, pelo sexto ano consecutivo, na praça de toiros de Stevinson, na Califórnia, mais um festival taurino para angariar fundos para o hospital das crianças que lutam contra o cancro e o autismo.
Triunfaram os cavaleiros Paulo Jorge Ferreira e Manuel Souza e o novilheiro Rui Jardim (foto ao lado), da Escola de Toureio da Azambuja, bem como os Forcados Amadores de Turlock.
Nos últimos seus anos, com a realização deste festival, foram doados 200 mil dólares ao referido hospital.
A tauromaquia californiana é um exemplo do que devia ser feito em mais lugares.

Fotos Pelayo Leal

Tudo a postos para a grande corrida de sábado em Elvas

Moura Caetano está a viver uma temporada triunfal. Na foto, dando a volta à
arena de Portalegre no sábado, com seu pai, Paulo Caetano, que obteve um
importante êxito como ganadero nessa tarde
Entusiasmado com o triunfo de seu filho, o Maestro
Joaquim Bastinhas saltou no sábado à arena de
Portalegre para o felicitar e acabou por ser também
muito acarinhado e ovacionado pelo público
Duarte Pinto, um clássico da nova geração


Grande e justificada expectativa em torno da corrida de alta competição que no próximo sábado, 23, a partir das 22 horas, se vai realizar no Coliseu de Elvas, pela Feira de São Mateus, colocando em confronto três dos mais destacados cavaleiros da nova vaga: João Moura Caetano, Marcos Bastinhas e Duarte Pinto. Lidam-se poderosos toiros da prestigiada ganadaria de Herdeiros de Rodolfo André Proença e pegam os Forcados de Évora e Académicos de Elvas.
Moura Caetano está a viver uma temporada triunfal e, além de Elvas, terá ainda dois importantes compromissos até ao fecho da temporada: actuará a 29 em Évora e a 12 de Outubro na Gala à Antiga Portuguesa que fecha a temporada no Campo Pequeno.
Marcos Bastinhas somou por êxitos as suas últimas actuações nas praças de Don Benito, em Espanha, onde saíu em ombros com Pablo Hermoso e Lea Vicens, depois na Nazaré e em Ponte de Lima e no sábado passado em Portalegre.
Duarte Pinto é um clássico da nova geração e um toureiro que interpreta à maneira antiga a arte de lidar toiros a cavalo, marcando a diferença.
Estão por isso reunidos os ingredientes necessários para que se viva uma grande noite de toiros no próximo sábado em Elvas.

Fotos Maria Mil-Homens e Frederico Henriques/@Campo Pequeno

Rui Bento e Moura Jr: apoderamento está "por um fio"...


Correm rumores no meio taurino, que o "Farpas" confirmou, da existência de alguma frieza no relacionamento profissional de Rui Bento com o cavaleiro João Moura Júnior, um apoderamento iniciado há quatro anos e que pode chegar ao fim no termo desta temporada.
Para já, não há qualquer comunicação oficial sobre o tema por parte do apoderado ou do toureiro, mas já corre à boca cheia nos mentideros da Festa que a relação "está por um fio".
Também em relação aos apoderados espanhóis de Moura Júnior, Jorge Cutiño e Juan Andrés Hermoso de Mendoza, se diz que a união pode não prosseguir na próxima temporada.
Não há fumo sem fogo... e a dança dos apoderados ainda nem começou, mas...

Foto Emílio de Jesus


"É preciso repensar muita coisa", alertou Miguel Alvarenga em entrevista à Rádio Iris a propósito da morte de dois Forcados


"O que se está a passar não sei, mas que é preciso fazer alguma coisa, é. Interpreto a trágica morte de dois Forcados no curto espaço de dez dias como uma triste coincidência, apenas e só. Não quer dizer que agora vão morrer forcados todos os dias, nem isso aconteceu, graças a Deus, com uma grande frequência nos últimos anos, mas a verdade é que estas duas mortes e todas as polémicas que a seguir se levantaram, nomeadamente quanto ao estado das enfermarias das praças de toiros, terão que ser obrigatoriamente motivo de reflexão durante este Inverno e há que fazer uma profunda e cuidada análise a muitas coisas na nossa Festa. Antes que seja tarde de mais" - palavras de Miguel Alvarenga (foto), ontem, numa importante entrevista a Maurício do Vale no programa de tauromaquia "Sombra Sol" da Rádio Iris de Samora Correia.
Convidado a comentar as mortes de dois forcados nos últimos dias, o director do "Farpas" tocou em algumas feridas que convém rever:
"Não sei se as bandarilhas de segurança vieram reforçar a segurança dos Forcados. Creio que é preso por ter cão e preso por o não ter. As antigas cegavam os Forcados, estas permitem que os toiros cheguem muito mais inteiros à pega, com maior potência e se calhar será essa a razão das lesões que mataram os dois Forcados e feriram outros em anos anteriores, ou seja, pancadas fortíssimas".
E acrescentou:
"Quanto à celeuma levantada pelo apetrechamento necessário das enfermarias, não me alargo em comentários, porque não tenho conhecimento de facto, mas remeto-os para o lúcido e corajoso texto do Dr. António Peças, médico cirurgião e antigo forcado, que sabe, melhor que ninguém, do que fala e pôs os dedos em todas as feridas".
"Por outro lado - disse - hoje em dia muitos ganaderos deixaram de criar toiros de lide e estão a criar carne para canhão, animais com 600 e 700 quilos, pesos que não têm nada que ver com a morfologia do toiro. Há que repenser tudo isso, há que escolher se queremos que os Forcados continuem a ser os últimos românticos da Festa ou se há quem esteja a preferir que sejam apenas e só gladiadores".
"Acho que todos os responsáveis pela Festa e todas as associações representativas das várias classes de intervenientes no espectáculo tauromáquico terão que se debruçar muito a sério sobre todas estas questões e decidir qual o caminho a tomar, antes que voltemos a estar todos a chorar a morte de mais forcados", concluiu.
O tema das tragédias que têm enlutado o meio taurino vai voltar a ser tema do programa de Maurício do Vale na Rádio Iris na próxima terça-feira à noite (dia 26), com as presenças em estúdio de José Potier, presidente da Associação Nacional de Grupos de Forcados e dos forcados Carlos Pegado e Pedro Maria Gomes, ambos sobreviventes a gravíssimas lesões no fígado idênticas às que vitimaram os forcados Pedro Primo e Fernando Quintella.

Foto Fernando Clemente/www.parartemplarmandar.com

Nuno Santana e Vasco Pinto rendem sentida homenagem a Fernando Quintella





Nuno Santana e Vasco Pinto, actual cabo e ex-cabo do Grupo de Forcados Amadores de Alcochete (ambos na foto ao lado), rendem hoje sentidas homenagens à memória de Fernando Quintella na rede social Facebook, dois textos carregados de dor e sentimento que aqui reproduzimos, com a devida vénia.

Nascemos a 24 de Junho de 1971 fruto da vontade de um grupo homens que quis seguir o seu caminho, unidos pela amizade e vontade de pegar toiros, para honrar o nome da Vila de Alcochete.
O caminho tem sido longo, duro em muitos momentos, mas também de sucesso, que orgulha todos aqueles que passaram pelo grupo ou gostam dele.
Passados 29 anos da morte de Hélder Antoño, voltamos a viver um momento muito difícil, com Deus nosso pai, a chamar para junto de si, um dos filhos mais puros que connosco caminhava.
Fernando homem de Fé e convicções, deixou-nos um legado enorme que iluminará o nosso trajecto. Exemplo de homem, filho, amigo e forcado estará sempre connosco e junto de nós, sabemos que nunca nos deixará em momento algum.
O nosso mais profundo obrigado a Deus pela bênção da presença do Fernando no grupo, pela oportunidade de aprender o que é ser crente, verdadeiramente, simples, honesto, e de nos deixar a mensagem de que será a Fé a conduzir-nos aonde Deus nos quiser levar.

“Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida”

Em nome do Grupo de Forcados Amadores de Alcochete agradeço as mensagens de apoio que temos recebido ao longo dos últimos dias e a presença de todos nas cerimónias fúnebres.
Em memória do Fernando e de todos aqueles que já nos deixaram, seguiremos o nosso caminho, com Fé e muita vontade de honrar as suas memórias e a nossa jaqueta.

Um abraço,
Nuno Santana


Quem me conhece sabe que guardo os sentimentos mais profundos, principalmente a dor. Logo, não utilizo as redes sociais como muro de lamentações.
Escrevo apenas estas curtas linhas, para agradecer as muitas mensagens e chamadas que recebi ao longo dos últimos dias. Primeiro pela perda de um tio, e logo de seguida, pela perda de um amigo, de um irmão mais novo com quem tive o prazer de partilhar os últimos 10 anos desta caminhada que é a Vida.
A Vida é o que é, há que levantar, recompor e olhar em frente. Só há um caminho, é seguir em frente! Tenhamos Fé, tal com o Fernando nos ensinou e aceitemos a vontade de Deus.
Por tudo isto, por muito mais, e essencialmente pelo que deixo ficar para mim, transcrevo apenas as palavras que escrevi num recente artigo de opinão (http://tauronews.com/fe-os-move):
“…Aprendemos a acreditar que Deus só nos dá o peso que conseguimos suportar e que todos os sacrifícios que nos são pedidos são-no por amor ao Pai. Por isso afirmo que é também a Fé, que nos guia sempre, que designa o amor do Homem ao seu Grupo e à arte de pegar toiros, e que alimenta o desejo e o compromisso de honrar a jaqueta que carrega...”

Descansa em paz “anjo de calças de ganga”!

Vasco Pinto

Fotos D.R. e Emílio de Jesus



Campo Pequeno encerra comemorações do 125º aniversário com Gala Fadista





Depois da Corrida de Gala à Antiga Portuguesa do próximo dia 12 de Outubro e para encerramento da comemoração dos seus 125 anos de História, o Campo Pequeno, inaugurado a 18 de Agosto de 1892, presta homenagem ao Fado, Património Imaterial da Humanidade, promovendo um espectaculo com a participação de duas gerações fadistas separadas entre si por 50 anos: a Voz que marcou o panorama fadista dos últimos 50 anos, Carlos do Carmo, partilhando palco com o talento e a juventude de Raquel Tavares.
O estilo e a voz de Carlos do Carmo são determinantes para a evolução do fado desde a década de 60, até aos dias de hoje e o seu legado artístico marcará também o futuro da chamada "canção nacional" .
Raquel Tavares é uma das mais importantes vozes do fado contemporâneo, constituindo já uma importante referência a nível nacional e internacional amplamente reconhecida.
Juntar Carlos do Carmo e Raquel Tavares num espectáculo com a carga histórica da comemoração dos 125 anos do Campo Pequeno, constituirá um dos pontos mais altos da agenda cultural portuguesa de 2017.
Entretanto, outros eventos vão decorrer no Campo Pequeno: Motor Vintage (30 de Setembro/1 de Outubro), A Cerveja em Lisboa (4 a 8 de Outubro) e o Mercado de Vinhos (20 a 22 de Outubro).

O mais completo ROTEIRO de corridas





A fim de aqui os publicarmos
ao longo da temporada, 
agradecemos às empresas 
e organizações de espectáculos
que nos enviem antecipadamente
os seus cartéis para 
o e-mail
jornalfarpas@sapo.pt

Setembro

AZUQUECA DE HENARES (Espanha) - 6ª feira, 22, às 17h30 (hora espanhola). Novilhada/Feira. 6 novilhos de Barriopedro para Aitor Silva “El Gallo”, Javier Suárez e João Silva “Juanito”.

FREGENAL DE LA SIERRA (Espanha) - Sábado, 23, às 17h30 (hora espanhola). Novilhada. 6 novilhos de José Luis Iniesta para David Bolsico, João Silva “Juanito” e Juan Luis Moreno.

ELVAS - Sábado, 23, às 22h00. Corrida à portuguesa/Feira de São Mateus. 6 toiros de Herdeiros de Rodolfo André Proença para João Moura Caetano, Marcos Bastinhas e Duarte Pinto. Forcados de Évora e Académicos de Elvas.

VIANA DO ALENTEJO - Domingo, 24, às 16h00. Corrida à portuguesa. 6 toiros de João Ramalho para Luis Rouxinol, Sónia Matias e Manuel Telles Bastos. Forcados de Évora, S. Manços e Moura.

CORUCHE - Domingo, 24, às 17h30. Corrida à portuguesa. 6 toiros de Palha para Gilberto Filipe, António Brito Paes, Francisco Palha, Miguel Moura, Parreirita Cigano e Luis Rouxinol Jr. Forcados da Chamusca e Coruche.

YECLA (Espanha) - Domingo, 24, às 17h30 (hora espanhola). Corrida mista comemorativa do 150º aniversário da inauguração da praça. 6 toiros de Victorino Martín para a cavaleira Ana Rita e os matadores Morenito de Aranda e Daniel Luque.

VERA (Espanha) - 2ª feira, 25, às 17h30 (hora espanhola). Corrida de rejoneio/Feira. 6 toiros de Passanha para João Moura Jr., Manuel Manzanares e Ana Rita. Forcados da Amareleja.

ÉVORA - 6ª feira, 29, às 22h00. Corrida à portuguesa/Vindimas. 6 toiros de Maria Guiomar Moura para João Moura Caetano, João Moura Jr. e João R. Telles. Forcados de Évora e Alcochete.

PÓVOA DE S. MIGUEL - Sábado, 30, às 16h30. Corrida à portuguesa/Concurso de ganadarias luso-espanhol. 6 toiros de Prudêncio, Veiga Teixeira, José Luis Pereda, Luis Terrón, Le Dehesilla e Fontembro para Rui Salvador, Ana Batista e Tiago Carreiras. Forcados da Póvoa de S. Miguel e Beja.

ALCÁCER DO SAL - Sábado, 30, às 17h00. Corrida à portuguesa. 6 toiros de Miura (3) e Murteira Grave (3) para João Moura, Luis Rouxinol e Francisco Núncio. Forcados de Santarém e Montemor.

ZAFRA (Espanha) - Sábado, 30, às 17h30 (hora espanhola). Corrida de toiros/Feira de San Miguel. 6 toiros de Zalduendo para Enrique Ponce, Cayetano e Ginés Marín.

ÚBEDA (Espanha) - Sábado, 30, às 17h30 (hora espanhola). Corrida de toiros/Feira de San Miguel. 6 toiros de Murteira Grave para "El Cid", Manuel Escribano e Alberto Lamelas.

ALGEMESI (Espanha) - Sábado, 30. Novilhada mista. 6 novilhos de Prieto de la Cal (2 para a lide a cavalo) e Alcurrucén (4 para a lide a pé) para Ana Rita, “Toñete” e Ángel Téllez.

Outubro

ZAFRA (Espanha) - Domingo, 1, às 17h30 (hora espanhola). Novilhada sem picadores/Feira de San Miguel. 6 novilhos de Cayetano Muñoz para Iván Valares, António Pintiado, Carlos Domínguez, Alejandro Rivero, José António Monetário e Manuel Perera.

VILA FRANCA DE XIRA - 3ª feira, 3, às 22h00. Corrida à portuguesa/Feira/ Homenagem a José Carlos de Matos. 6 toiros de Santa Maria para António Ribeiro Telles, Manuel R. Telles Bastos e João Ribeiro Telles. Forcados de Vila Franca.

VILA FRANCA DE XIRA - 5ª feira, 5 (feriado nacional), às 17h00. Corrida mista/Feira. 7 toiros de Passanha (3 para a lide a cavalo) e Santa Maria (4 para a lide a pé) para Ana Batista e Francisco Palha, Forcados de Vila Franca, Nuno Casquinha e Juan Leal.

CHAMUSCA - 5ª feira, 5 (feriado nacional), às 17h00. Corrida à portuguesa. 6 toiros de António Charrua para Manuel Telles Bastos, João Ribeiro Telles e Duarte Pinto. Forcados de Santarém e Aposento da Chamusca.

REDONDO - 5ª feira, 5 (feriado nacional), às 17h30. Corria à portuguesa/Feira de S. Francisco. 6 toiros de Dias Coutinho para Filipe Gonçalves, Miguel Moura e Luis Rouxinol Jr. Forcados do Ribatejo e Redondo.

BEJA (praça portátil instalada junto da feira RuralBeja) - Sábado, 7, às 16h00. Festival a favor da Cerci. 6 novilhos-toiros de distintas ganadarias para Rui Salvador, Marco José, Sónia Matias, Ana Batista, Filipe Gonçalves e António Brito Paes. Forcados do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, Aposento da Moita e Beja.

ZARAGOZA (Espanha) - 2ª feira, 9. Novilhada/Feira del Pilar. 6 novilhos de Adelaida Rodríguez para Jorge Isiegas, João Silva “Juanito” e Carlos Ochoa.

CAMPO PEQUENO - 5ª feira, 12, às 22h00. Corrida de Gala à Antiga Portuguesa/Encerramento da Temporada. 6 toiros de Passanha para Rui Salvador, Rui Fernandes, João Moura Caetano, Manuel Telles Bastos, João Moura Jr. e Luis Rouxinol Jr. Forcados de Évora e Vila Franca.

VILA BOIM (Elvas) - Sábado, 14, às 15h30. Festival. 7 novilhos-toiros de Branco Núncio, Passanha, Souza d’Andrade, Santa Maria, Canas Vigouroux, Calejo Pires e Mata-o-Demo para Francisco Zenkl, Francisco Palha e Joaquim Brito Paes, Forcados de Évora e Aposento da Moita, “El Cartujano”, Juan Leal, Manuel Dias Gomes e Carlos Domínguez.


Logroño: aficionados descobrem Peter Janssen entre o público e impedem-no de "dar espectáculo" na arena

Aficionados impediram ontem Peter Janssen de "dar espectáculo" na arena de
Logroño. Em baixo, o momento em que o activista holandês anti-taurino saltou
no ano passado à arena do Campo Pequeno, vendo-se, entre outros, a levá-lo,
Rui Bento e Juan Andrés Hermoso de Mendoza

Peter Janssen, o activista holandês anti-taurino que no ano passado saltou à arena do Campo Pequeno (foto ao lado) e o tem feito também em muitas outras praças do mundo, em protesto contra as corridas de  toiros, foi ontem reconhecido por aficionados entre o público que assistia à corrida em Logroño (Espanha) e rapidamente retirado do local por agentes da autoridade, quando se preparava para voltar a dar nas vistas...

Fotos D.R./cultoro.com e Carlos Silva

Mundo equestre de luto: morreu Manuel Heleno

Manuel Heleno (à direita, na foto) com sua Mulher e João Cortesão em 2011
em casa de José Manuel Pires da Costa durante a Feira da Moita


Morreu esta madrugada Manuel Herminio Domingos Heleno, após uma longa e corajosa luta contra a doença, informa o site Equisport.
Diplomata, empresário, escritor, cavaleiro e criador, Manuel Heleno presidiu a várias organizações internacionais e nacionais e foi fundador da Associação Portuguesa do Cavalo Árabe, da Associação Portuguesa do Cavalo Anglo-Árabe, da Associação Portuguesa do Cavalo Luso-Árabe, da Organização Mundial do Cavalo Árabe Montado ou Atrelado e do El Rey Clube D. Duarte I.
Foi membro do Conselho de Administração da Conference International de l’Anglo-Árabe, primeiro presidente da Comissão de Desporto da ECAHO e membro da Direcção da Associação Portuguesa do Cavalo “Selle Français”.
Foi também o autor do Stud Book do Puro Sangue Árabe, e ainda escritor do excelente livro “O Cavalo Árabe em Portugal” e da grandiosa obra “Tourada – Tradição Portuguesa” (ao lado). Escreveu também inúmeros artigos em revistas e jornais de vários países.
João Cortesão recorda hoje no seu blog "Sortes de Gaiola" que a Manuel Heleno se deve também o arranque das corridas de toiros à portuguesa em França, já que organizou naquele país com o saudoso Nuno Salvação Barreto o primeiro espectáculo com cavaleiros e forcados.
A missa de corpo presente será celebrada no próximo sábado, 23, as 10h30 na Capela da Quinta da Figoeira, seguido o funeral no mesmo dia para Monte Real.
A toda a Família enlutada, endereçamos as mais sentidas condolências.
Que em paz descanse.

Foto M. Alvarenga

Próximo sábado, dia 23: alta competição em Elvas! Alguém vai perder?



Miura/Grave: histórico confronto de ganadarias dia 30 em Alcácer do Sal



Trio da Apoteose na Corrida das Vindimas: dia 29, todos a Évora!



Ponce, Cayetano e Ginés Marín no super-cartel da Feira de Zafra