quinta-feira, 27 de abril de 2017

Miguel Moura inicia campanha espanhola em Bienvenida



Miguel Moura (foto) inicia a sua campanha em Espanha no próximo dia 13 de Maio em Bienvenida (província de Badajoz), numa corrida de rejoneio integrada nas festas em honra de San Isidro Labrador.
Actuará mano-a-mano com o rejoneador espanhol Mário Pérez Langa na lide de novilhos-toiros da ganadaria portuguesa de Dias Coutinho.
A 18, toureia no Campo Pequeno com Pablo Hermoso de Mendoza e seu irmão João Moura Jr.

Foto Hugo Teixeira


6ª feira em Samora: VI Gala Taurina Iris FM



Onda Cultural em São Brás (Ilha Terceira) com dois Colóquios



"Como ver uma corrida de toiros à portuguesa" é o que o Dr. Vasco Lucas (na foto, com sua Mulher, Drª Helena Lucas) vai ensinar amanhã, dia 28, no Colóquio em que será orador em São Brás (Ilha Terceira), acto integrado na Onda Cultural "Vamos Falar de Toiros" e que terá lugar na Casa do Povo a partir das 20 horas.
Na sexta-feira, dia 29, haverá um segundo Colóquio subordinado ao tema "Promover e defender a Tauromaquia", novamente com o Dr. Vasco Lucas como orador, acompanhadp por Hélder Milheiro, da Federação Protoiro.
Uma organização da Tertúlia Tauromáquica Praiense e da autarquia local.

Foto Emílio de Jesus


Família Ribeiro Telles encantou aficion de Samora


Excelente e inesquecível serão proporcionado ontem à noite (terminou há momentos) no Centro Cultural de Samora Correia, a iniciar a tradicional Semana Taurina, pelos membros da ilustre Família Ribeiro Telles num Colóquio moderado por Maurício do Vale e que teve por tema precisamente a História desta afamada Dinastia de Toureiros.
Foram oradores, da esquerda para a direita, António R. Telles Jr., António Telles Bastos, João R. Telles, Manuel Telles Bastos, Manuel R. Telles, António R. Telles e João R. Telles (pai) e prestou-se significativa homenagem à memória de Mestre David, o saudoso patriarca da Família da Torrinha.
Antes do Colóquio, actuou a Banda do Samouco, prestando também o seu tributo à memória do Mestre.

Foto Graça Silva/Facebook


Ontem, 4ª feira: 11.485 leram o "Farpas"!


Visualizações de páginas de hoje
45
Visualizações de página de ontem
11 485
Visualizações de páginas no último mês
253 017
Histórico total de visualizações de páginas
16 901 010

Curro Díaz abandona hospital


O matador Curro Díaz teve ontem alta hospitalar, depois da cornada de prognóstico grave que sofreu no domingo em Zaragoza.
"Espero estar a cem por cento em Madrid", disse o toureiro à saída do hospital (na foto ao lado, com o Dr. Val Carreres), prosseguindo agora a recuperação na sua casa em Linares.

Foto aplausos.es


Uma orelha a José Garrido em Sevilha



José Garrido cortou ontem a única orelha da tarde em Sevilha, ao seu segundo toiro, depois de ter sido silenciado no primeiro, ambos da ganadaria Torrestrella, como os restantes.
Álvaro Lorenzo foi silenciado em ambos os toiros do seu lote e Ginés Marín também.

Fotos González Arjona/aplausos.es e cultoro.com



Leonardo Hernández: "O Campo Pequeno é uma das melhores e mais importantes praças do mundo!"



Anunciado hoje pela empresa para a corrida de 8 de Junho no Campo Pequeno - com Rui Fernandes e João Moura Caetano -, Leonardo Hernández congratulou-se em declarações ao site mundotoro.com pelo regresso a "uma das melhores e mais importantes praças do mundo", onde toureou pela última vez há sete anos.
"É uma satisfação muito grande poder voltar a essa maravilhosa praça. Para mim, as corridas de toiros ali são muito especiais. Chego num bom momento, com uma quadra muito rotunda e com uma grande ilusão de poder fazer coisas imporantes", afirma o rejoneador espanhol, acrescentando:
"São grandes entendidos do mundo do toureio a cavalo, espero que seja uma noite mágica e possa emocionar-me toureando e emocionar a aficion".
"Ali passaram-se coisas muito bonitas - diz ainda -, portas grandes de figuras, cartéis muito rematados, além de o público estar a acorrer à praça. Merece-me todo o respeito, entrega e categoria do mundo".

Fotos D.R.


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Euros deixam Telles em "stand by" no Campo Pequeno...

João Telles ainda não anunciado para a Temporada
Histórica do Campo Pequeno... por causa dos euros!
"Nené" com Rui Bento e a Drª Paula Mattamouros Resende. Sem acordo...


Já houve "mil e uma tentativas" por parte da empresa e como enquanto há vida, há esperança, é preciso esperar e não desanimar, mas a verdade é que Rui Bento (foto da esquerda) e o apoderado (e empresário) António Manuel Cardoso "Nené" (foto da direita) não há meio de chegarem a acordo para que João Ribeiro Telles toureie este ano no Campo Pequeno...
"Quisemos pô-lo na corrida do próximo dia 18 com Pablo e Moura e não houve acordo. Tentámos agora que viesse a 8 de Junho com Fernandes e Leonardo e voltou a não haver acordo", diz-nos Rui Bento. A não existência de acordo tem a ver única e simplesmente com a questão financeira e mais nada.
O apoderado "Nené" confirma: "É verdade que já houve conversações e é também verdade que ainda não houve acordo".
Vamos aguardar...

Fotos Maria Mil-Homens e Emílio de Jesus

Empresa confirma cartel de 8 de Junho em Lisboa: Fernandes, Leonardo e Caetano


O rejoneador espanhol Leonardo Hernández, recente triunfador da Feira de Páscoa em Arles (França), actuará no Campo Pequeno a 8 de Junho, como esta manhã adiantámos, numa corrida em que se estreará a ganadaria dos Irmãos Moura Caetano, alternando com Rui Fernandes e João Moura Caetano - acaba de confirmar a empresa.
Hernández foi o triunfador da edição de 2016 da Feira de Santo Isidro (Madrid) e irá defender esta condição nas corridas de 20 e 28 de Maio, em Las Ventas.
A ganadaria Irmãos Moura Caetano estreia-se no Campo Pequeno na data em que o cavaleiro João Moura Caetano comemora 11 anos de alternativa, que lhe foi concedida por seu pai, Paulo Caetano, nesta mesma praça, sendo, aliás, a primeira que se verificou depois da reabertura do Campo Pequeno.
Esta ganadaria resulta de um processo de partilhas familiares, pelo que as reses sairão à arena com o ferro Maria Guiomar Cortes Moura, ganadaria que está na sua origem, situação legal que se verificará ainda nas temporadas de 2018 e 2019.
O cavaleiro João Moura Caetano, titular da ganadaria, juntamente com sua irmã Maria Moura Caetano Couceiro, regressa nesta data ao Campo Pequeno, depois de uma ausência de duas temporadas, numa ocasião de profundo significado para si, agora na dupla qualidade de cavaleiro e de ganadero.
Outro grande aliciante desta corrida é a presença do Grupo de Forcados Amadores de Turlock, cujo cabo, George Martins Jr. ganhou o prémio em disputa no concurso de pegas realizado no Campo Pequeno a 4 de Agosto de 2016.
Completam o cartel o consagrado cavaleiro Rui Fernandes, um dos cavaleiros com quem a empresa contou desde a primeira hora para figurar no Abono, mas cuja presença só agora foi concretizada, e o Grupo de Forcados Amadores de Alcochete, capitaneado por Nuno Santana.
De momento, fica em aberto o posto de cavaleiro na corrida de dia 6 e Julho, até agora ocupado por João Moura Caetano, que transitou para esta corrida de 8 de Junho, terceira da Temporada Histórica em que se comemoram os 125 anos da inauguração da praça de toiros de Lisboa.


Alter: a Apoteose do Trio! Praça cheia e Moura a vencer primeiro "round"

Grupo de Alter e Moura Jr. ganharam ontem os troféus em disputa na corrida de
Alter do Chão para a mellhor pega e melhor lide. Na foto, o forcado vencedor
José António Reis e o cavaleiro triunfador João Moura Jr. ladeados pelo presidente
da Câmara, Joviano Vitorino e o empresário Engº Jorge Carvalho
João Moura Caetano bordou o toureiro no seu segundo toiro
João Moura Jr. destacou-se e marcou a diferença ontem em Alter. Venceu o
primeiro "round" da competição com Caetano e Telles. Esperam-se os próximos.
Este é o trio que vai encher as praças nesta temporada
João Ribeiro Telles esteve completo e artista a bregar, a lidar e a cravar com
emoção em duas lides de alto nível
José Paulo homenageado e aclamado de pé pelo público
na hora da despedida. Em baixo, o triunfo da ganadaria de
Paulo Caetano reconhecido numa aplaudida volta à arena
do ganadeiro com Moura Jr. no quinto toiro da tarde


Miguel Alvarenga - João Moura Júnior abriu ontem a sua temporada em que comemora uma década de alternativa ganhando em Alter do Chão o troféu “D. José Atahyde” para a melhor lide. Distinção justa e merecida, unânimemente aplaudida pelo conclave (praça cheia) a quem, na verdade, marcou a diferença numa tarde de alta competição entre o novo Trio da Apoteose, que ontem se viu ser uma fórmula capaz de encher praças e desse modo conquistar novos aficionados. Assim o entendam os senhores empresários.
Jorge de Carvalho, o empreendedor gestor da praça de Alter há vinte anos, deu o pontapé de saída e o exemplo está dado. Nos anos 80, baptizei de Trio da Apoteose o cartel que era composto precisamente pelos pais dos toureiros de ontem, João Moura, João Ribeiro Telles e Paulo Caetano e que mais tarde integrou Joaquim Bastinhas no lugar de Telles. Manuel dos Santos, que viveu uns anos à frente de todos os outros empresários da sua época, anunciou em Lisboa o cartel da Apoteose do Toureio a Cavalo com Mestre Batista, José Núncio e Luis Miguel da Veiga. Temos agora um novo Trio da Apoteose formado por Moura Caetano, João Moura Jr. e João Telles. Aproveitem-no, senhores empresários!

Moura Caetano bordou o toureio 
no segundo

Ontem, a João Moura Caetano, as coisas não correram propriamente de feição no primeiro toiro, o mais bravo da tarde. Até mesmo com o fantástico “Temperamento”, Caetano esteve algo aquém de si próprio, sofrendo alguns toques e deixando dois curtos demasiado traseiros. Não foi uma actuação má, foi apenas uma lide menos brilhante do que aquelas a que nos habituou.
No segundo, a garra veio-lhe acima, Caetano não gosta de perder nem a feijões e encastou-se para rubricar com o “Xispa” uma actuação empolgante e em que bordou o toureio, elevando a sua tauromaquia - de tão própria e consolidada interpretação - ao mais alto dos patamares. Brega primorosa, ferros empolgantes e a pisar terrenos de valor, um êxito, agora sim, “à Caetano”.

Moura Jr. marca a diferença

João Moura Júnior vive, após dez anos de carreira profissional, um momento altíssimo. Está moralizado (mas isso, meus amigos, doa a quem doer, os toureiros têm que estar sempre quando entram em praça) e está, sobretudo, embalado, com atitude de figura e vontade de se distanciar e marcar a diferença. Um filme que não é novo, ou não fosse ele filho de quem é.
Ontem foi autor de duas lides daquelas que marcam e levantam o público dos lugares. Pisou terrenos de compromisso, esteve enorme a lidar e a bregar, com recortes de grande aprumo, arte e emoção e deixou nos seus dois toiros ferros de grande marca e que evidenciaram, na realidade, a sua decisão de comemorar em grande os dez anos de alternativa. Foi um banquete mourista que constituiu também um esplêndido aperitivo para o duelo do próximo sábado em Estremoz com Ventura.

João Telles brilhante e inspirado

João Ribeiro Telles não foi, de modo algum, um mero assistente da velha competição, que passou de pais para filhos, entre Caetano e Moura. Bem pelo contrário, o cavaleiro da ilustre dinastia Ribeiro Telles esteve enorme na brega e muito emotivo na ferragem nas suas duas lides, que resultaram de grande impacto.
É, como seu pai foi, um toureiro de inspiração, de arte e de casta. E ontem deixou tudo isso transparecer na forma como lidou, como bregou e como cravou. Duas actuações de alto nível.
Havia um prémio em disputa e só um o podia levar para casa. Moura mereceu-o indiscutivelmente. Mas há que realçar, por inteira justiça, que embora não premiados, Caetano e Telles não sairam vencidos de Alter. Bateram-se os três que nem leões pelo triunfo. E a corrida resultou empolgante, com ritmo, sem tempos mortos, em crescendo de lide para lide. Por isso, repito: aproveitem, senhores empresários, este Trio da Apoteose que ontem encheu a praça de Alter e proporcionou, como se costuma dizer, uma corrida daquelas que fazem aficionados.

Triunfo ganadeiro do perfeccionista Paulo Caetano

Paulo Caetano é um perfeccionista de alma e coração. O que faz, faz bem feito. Foi (é) um grande toureiro, um excelente mestre de equitação, um apurado criador de fantásticos cavalos Lusitanos para o toureio e para outras modalidade equestre, a Dressage, por exemplo - e é um ganadeiro rigoroso e aficionado. Os seis toiros de ontem, da sua triunfadora ganadaria, tiveram comportamento notável, se bem que alguns pudessem ter transmitido um pouco mais. Mas são estes os toiros que as Figuras exigem - e ontem fizeram o público vibrar.
Paulo Caetano deu aclamada volta à arena no quinto, lidado por Moura Júnior. Público distinguiu-os com calorosas ovações.

Grupo de Alter conquista prémio

Pegaram, como manda a tradição nesta data em Alter, os Forcados de Montemor e os de Alter, vencendo os anfitriões o prémio para a melhor pega pela valente intervenção de José António Reis no último toiro da tarde e que foi, de facto, a pega mais emotiva da corrida pelo que o toiro proporcionou de emoção ao arrancar que nem um comboio, recebendo-o o forcado já para lá da meia praça, toureando-o na cara com arte e fechando-se com tremenda decisão, sendo depois muito bem ajudado pelo grupo, que aguentou estoicamente a investida de um toiro a cem à hora.
Por Montemor foram caras Francisco Bissaia Barreto (à segunda, ou talvez se possa considerar à primeira, os entendidos o explicarão, uma vez que da primeira vez o toiro lhe passou ao lado); Manuel Vacas de Carvalho, que rabejou dois toiros e pegou um, com apurada técnica, à primeira; e Bernardo Dentinho, violentamente derrotado e colhido no chão na primeira tentativa, mas que mesmo inferiorizado se fez com valentia a uma segunda oportunidade, pegando com galhardia e com o grupo, como sempre, a ajudar coeso e bem.
Além do forcado vencedor, pegaram também pelo Grupo de Alter os forcados Elias Santos (cabo) e Diogo Bilé numa valente e bem executada cernelha; e João Airoso, na pega mais complicada da tarde, à terceira, depois de fortemente derrotado nas duas primeiras tentativas.

Despediu-se um Senhor: obrigado, José Paulo!

José Paulo, a grande referência dos emboladores nacionais, fez ontem a sua despedida na mesmíssima praça onde há mais de meio século iniciou a sua actividade. Homem íntegro, grande profissional, pautou a sua vida e a sua carreira espalhando boa educação, cortesia e uma grandeza pela sua humildade. Foi merecidamente homenageado pela empresa ao início da corrida e, com as lágrimas nos olhos, foi depois aclamado de pé por todos no centro da arena. Podia - e devia - ter dado uma volta à arena. A sua vida e a sua história o impunham. Mas na hora da despedida, o grande José Paulo voltou a ser o homem simples e humilde de sempre e não quis essa honraria que lhe era devida. Até sempre - E obrigado, José Paulo, pelo grande contributo que deu, em mais de 50 anos de actividade, em prol - sempre - do engrandecimento da Festa!

E Palomo Linares foi esquecido...

Devido tinha sido ontem também um minuto de silêncio em memória de Palomo Linares, apenas e só um dos toureiros mais marcantes da segunda metade do século XX, falecido na véspera. Mas nem a empresa, nem o director de corrida se lembraram de o fazer. Lamentavelmente.
Àparte essa falha, Agostinho Borges esteve, como está sempre, acertado e cheio de aficion, na direcção desta corrida, assessorado pelo médico veterinário Dr. José Guerra, também ele um aficionado dos antigos.
Lamentável, também, mas disso não teve o director culpa, o esquecimento de anunciar quem foi o júri dos prémios. Nesta coisas, exige-se clareza e transparência. Por acaso, foram ambos merecidos e nenhum protestado. Mas ninguém soube quem os atribuiu...
Praça cheia no 25 de Abril em Alter, que nada tem a ver com comemorações da abrilada, foi sempre a data da festa local e ninguém tem culpa de que os capitães se tivessem lembrado de fazer o que fizeram na data sagrada dos alterenses…
Um Trio de (grande) Apoteose para a Temporada!

Fotos Maria Mil-Homens

18 de Maio: alguém vai perder a segunda Grande Noite do Campo Pequeno?



A ilustre Família Ribeiro Telles homenageada esta noite em Samora

João e António Palha Ribeiro Telles com seu pai, Mestre David
Mestre David com os netos João R. Telles e Manuel R. Telles Bastos


"Ribeiro Telles - Uma História, uma Família" é o tema de um interessante Colóquio que esta noite abre a Semana Taurina de Samora Correia e que vai ter lugar, a partir das 21h30, no Centro Cultural, reunindo pela primeira vez sete toureiros da famosa Dinastia - João Palha R. Telles e seu filho João R. Telles, António Ribeiro Telles e seu filho António R. Telles Jr. (promissor cavaleiro amador), Manuel Ribeiro Telles (que foi brilhante cavaleiro praticante, mas se retirou sem tomar a alternativa), Manuel Telles Bastos e o único bandarilheiro da família, António Telles Bastos, recentemente distinguido pelo "Farpas" e o "Volapié" como melhor peão de brega da última temporada no Campo Pequeno.
Antes do Colóquio, que será moderado por Maurício do Vale, actuará a Banda do Samouco num tributo ao patriarca Mestre David Ribeiro Telles (foto ao lado), falecido no ano passado.
Na sexta-feira, dia 28, também no Centro Cultural de Samora Correia, terá lugar a tradicional Gala Taurina da Rádio Iris FM, este ano de homenagem ao cavaleiro D. Francisco de Mascarenhas.

Fotos D.R. , Fernando Clemente e Emílio de Jesus

Arena de Estremoz coberta com lona para garantir no sábado o mano-a-mano Ventura/Moura Jr.



Tudo a postos para o mano-a-mano mais esperado entre Diego Ventura (foto de cima) e João Moura Jr. (foto ao lado, grande triunfador ontem em Alter) no próximo sábado, dia 29, em Estremoz.
Os serviços metereológicos anunciam chuva para sexta-feira e aguaceiros para sábado, o que não impedirá a realização da corrida. A arena da praça de Estremoz vai ser hoje coberta por uma lona, por forma a assegurar que a corrida no sábado vá por diante. Ainda há bilhetes à venda em Estremoz e também em Vila Franca na Agência "Arena".
Ventura e Moura enfrentam seis toiros da ganadaria de Francisco Romão Tenório e nas pegas estarão os Forcados de Montemor e de Monforte na disputa de um troféu que tem o nome de João Cortes, antigo cabo do grupo montemorense e que será homenageado na sua terra natal este sábado.

Fotos D.R. e Maria Mil-Homens


GFA de Montemor e Alter: as 6 pegas de ontem em Alter do Chão

Como manda a tradição, pegaram ontem em Alter do Chão
os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e de Alter.
O troféu para a melhor pega, com o nome do saudoso cabo
alterense Luis Saramago, foi ganho pelo grupo da terra,
distinguindo a última pega, executada por José António Reis,
na foto recebendo o prémio das mãos do presidente da
Câmara, Joviano Vitorino, na presença do empresário
Engº Jorge Carvalho. A seguir, veja o filme das 6 pegas
Grupo de Forcados Amadores de Montemor, comandado por António Vacas
de Carvalho
Grupo de Forcados Amadores de Alter, comandado por Elias Santos

1ª pega - Francisco Bissaia Barreto
(Montemor)
Com decisão e valentia, a primeira pega da tarde foi efectuada por Francisco
Bissaia Barreto
à segunda, depois de na primeira o toiro lhe ter passado ao lado.
Grupo a ajudar com a coesão usual dos montemorenses e o forcado da cara muito
bem a citar, a recuar e a tourear, fechando-se com galhardia e querer

2ª pega - Elias Santos/Diogo Bilé (Alter)
O segundo toiro da corrida foi pegado de cernelha pelos forcados Elias Santos
(cabo do  Grupo de Forcados Amadores de Alter do Chão)
 e Diogo Bilé.
Sorte muitas vezes esquecida, é sempre bonito ver uma pega de

cernelha e os grupos deviam fazê-las mais vezes porque, ao contrário do que
alguns sustentam, não se trata de uma pega de recurso. Sorte consumada com
valor e decisão por cernelheira e rabjeador logo à primeira tentativa

3ª pega - Manuel V. Carvalho (Montemor)
Cavaleiro praticante (retirado), Manuel Vacas de Carvalho seguiu agora a tradição
familiar e está a revelar-se um grande e completo forcado. Ontem em Alter rabejou
dois toiros e pegou o terceiro da tarde, evidenciando valor e técnica, consumando
à primeira uma rija pega

4ª pega - João Airoso (Alter)
João Airoso consumou a terceira pega da tarde à terceira tentativa e com as ajudas
carregadas, depois de ter sofrido violentos derrotes nas duas primeiras

5ª pega - Bernardo Dentinho (Montemor) 
Bernardo Dentinho, forcado de dinastia, foi fortemente derrotado na primeira
tentativa e cortemente colhido, ficando lesionado na arena. Já estava a maca
pronta para o recolher quando ele se voltou a levantar e se perfilou de novo para
uma segunda tentativa, que consumou com galhardia e muito bem ajudado pelo
grupo

6ª pega - José António Reis (Alter)
O último toiro de Caetano arrancou com pata e o forcado José António Reis, bem
a citar, aguentou a meio da praça e levou-o toureado com arte até se fechar com
braços de ferro. O grupo ajudou bem e a pega foi, sem dúvida, a mais emotiva da
tarde e a que levantou o público das bancadas, sendo por isso muito justamente
premiada com o troféu "Luis Saramago". Reis brindara à Banda Municipal Alterense

Fotos Maria Mil-Homens